Entenda por que o game show “Squid Game” foi aprovado

Entenda por que o game show “Squid Game” foi aprovado

A desolação do Squid Game

Squid Game, série dramática sul-coreana que fez sensação na Netflix em setembro de 2021, é uma obra de desespero. Nesta série, centenas de jogadores endividados são convidados a participar de uma competição secreta com um enorme prêmio em dinheiro para aqueles que concluírem com sucesso uma série de jogos. Porém, eles não percebem que desde o primeiro jogo serão assassinados ao serem eliminados de todos os jogos.

No episódio “Red Light Green Light”, 456 pessoas se encontram em um enorme espaço aberto jogando o jogo infantil onde, se você for pego se movendo após ser avisado para congelar, você será eliminado. Neste caso, ao ser eliminado, você é alvejado por enormes armas embutidas nas paredes. Baleado na cabeça, pescoço, costas. À medida que o grupo percebe o que está acontecendo, muitos entram em pânico e correm para a saída, mas é claro que isso também viola as regras, por isso são massacrados tentando escapar. Termina com uma pilha de cadáveres encostados nas portas, com seus agasalhos verdes idênticos encharcados de sangue.

O que torna The Challenge tão ruim é que, além dos assassinatos simulados e seu valor de choque, é chato.

O legado do Squid Game

O Desafio traz 456 pessoas reais para um amplo dormitório projetado para se parecer o mais possível com o do programa. E ele também começa tocando “Red Light Green Light”. O Desafio é uma tentativa cínica de explorar os elementos mais superficiais do Squid Game, perdendo completamente o objetivo. Esses jogos não são particularmente emocionantes por si só. Os assassinatos e a brutalidade são a única coisa que os torna emocionantes.

O que torna The Challenge tão ruim é que, além dos assassinatos simulados e seu valor de choque, é chato. Existem muitos concorrentes para conhecer e nenhum personagem central para se agarrar, como no Squid Game.

Os excessos do Desafio

O que há de errado com The Challenge é que uma competição onde o primeiro episódio é um jogo de fantasia de “tiro em massa e pânico”, completo com projéteis, deveria ser rejeitada na primeira reunião. Ninguém disse não, ninguém disse que havia uma excelente chance de irmos ao ar esses episódios após um verdadeiro tiroteio em massa, e fingir isso para entretenimento pareceria uma violação extraordinária da decência, a mais básica. (Sem mencionar o que alguns concorrentes afirmam serem, na vida real, condições aparentemente atrozes.)

Num ambiente mediático onde pessoas criativas conseguem, contra todas as probabilidades, produzir trabalhos ousados ​​e interessantes, é brutal ver a mesma empresa que levou ao sucesso deste trabalho virar-se e tratá-lo de forma tão descuidada.

Este artigo também apareceu no boletim informativo Pop Culture Happy Hour da NPR. Assine a newsletter para não perder a próxima edição, além de recomendações semanais sobre o que nos deixa felizes.

Fonte: www.krwg.org

Avatar photo

Sylvain Métral

J'adore les séries télévisées et les films. Fan de séries des années 80 au départ et toujours accroc aux séries modernes, ce site est un rêve devenu réalité pour partager ma passion avec les autres. Je travaille sur ce site pour en faire la meilleure ressource de séries télévisées sur le web. Si vous souhaitez contribuer, veuillez me contacter et nous pourrons discuter de la manière dont vous pouvez aider.