Investidores processam Disney pelos custos enganosos de streaming de Chapek

Investidores processam Disney pelos custos enganosos de streaming de Chapek

A Walt Disney Company está enfrentando vários processos judiciais e foi recentemente processada por investidores que afirmam que o ex-CEO Bob Chapek ocultou os verdadeiros custos de produção de filmes e programas de TV para seu serviço de streaming Disney+.

Acusações de ocultação de custos

Uma ação judicial de 63 páginas, movida no Tribunal Distrital dos EUA em Delaware pela Stourbridge Investments LLC e obtida pelo TheWrap, afirma que Chapek, junto com seu tenente Kareem Daniel e a ex-diretora financeira Christine McCarthy, inicialmente exibiram programas aprovados como originais da Disney+ em canais legados, como Disney Channel. Então, eles supostamente transferiram os custos de marketing e produção desses programas para esses canais “como parte de uma manobra para fazer o desempenho financeiro da Disney+ parecer mais bem-sucedido do que realmente foi”.

Os demandantes citam em particular os programas “The Mysterious Benedict Society”, retirado do Disney+ em maio passado, e “Doogie Kameāloha, MD”, que foi cancelado após duas temporadas no serviço.

Uma ocultação intencional

Os demandantes afirmam que Chapek e sua equipe de gestão “enganaram repetidamente os investidores sobre o sucesso da plataforma Disney+, ocultando os verdadeiros custos da plataforma, ocultando despesas e as dificuldades associadas ao crescimento robusto de assinantes da Disney+ e alegando que a plataforma está no caminho certo para alcançar lucratividade e 230-260 milhões de assinantes pagantes em todo o mundo até o final do ano fiscal de 2024.”

A denúncia também diz que Chapek tomou a decisão de reorganizar toda a mídia e entretenimento da Disney em uma única divisão, liderada por Daniel, como parte dos esforços para tornar os serviços diretos ao consumidor, como o Disney+, o coração da empresa.

Os demandantes acreditam que esta reorganização foi uma “mudança radical na estrutura histórica de relatórios da Disney” e que foi altamente controversa internamente, pois retirou o poder dos executivos focados em conteúdo criativo e o centralizou em um novo grupo de relatórios.

A reestruturação cancelada

O facto de o actual CEO da Disney, Bob Iger, ter revertido a reestruturação de Chapek depois de este ter regressado à empresa em Novembro passado é visto pelos demandantes como prova de que a estratégia do antigo CEO enganou os investidores sobre os gastos reais da Disney em streaming versus receitas geradas a partir de pacotes de clientes com Hulu e ESPN+.

A denúncia também aponta para o facto de o pacote representar aproximadamente 40% dos assinantes nacionais, confirmando que a Disney dependia de esforços promocionais de curto prazo para impulsionar o crescimento de assinantes, ao mesmo tempo que prejudicava a rentabilidade da plataforma a longo prazo.

Múltiplos processos judiciais e queda no preço das ações

Atualmente, o preço das ações da Disney é de US$ 84,39 por ação, o nível mais baixo desde outubro de 2014. A empresa também enfrenta um processo semelhante de investidores sobre custos de streaming, aberto no início deste verão, bem como um processo movido pela TSG Entertainment alegando que a Disney deve a empresa recebeu dezenas, senão centenas de milhões de dólares provenientes de seus investimentos em filmes como “Avatar: O Caminho da Água”.

TheWrap entrou em contato com a Disney para comentar.

Fonte: www.thewrap.com

Avatar photo

Sylvain Métral

J'adore les séries télévisées et les films. Fan de séries des années 80 au départ et toujours accroc aux séries modernes, ce site est un rêve devenu réalité pour partager ma passion avec les autres. Je travaille sur ce site pour en faire la meilleure ressource de séries télévisées sur le web. Si vous souhaitez contribuer, veuillez me contacter et nous pourrons discuter de la manière dont vous pouvez aider.