O comovente relato de Mary Elizabeth Bailey sobre cura e esperança, adaptado para a televisão

O comovente relato de Mary Elizabeth Bailey sobre cura e esperança, adaptado para a televisão

Descubra a inspiradora história de Mary Elizabeth Bailey e sua incrível jornada até a tela grande no último filme da Lifetime, “Would You Kill For Me? A história de Mary Bailey”. Este filme, baseado em fatos reais, é uma das produções mais fortes do gênero crime real. Tivemos a incrível oportunidade de conhecer Mary Elizabeth Bailey para falar sobre sua história, sua luta, sua cura e as mensagens que ela deseja transmitir através de sua história.

Uma parceria inesperada

Depois de escrever seu livro, Mary Elizabeth Bailey chamou a atenção da revista People, que publicou um artigo sobre ela no ano passado. Em seguida, Pierre David, produtor associado da Lifetime, a contatou via Instagram. Após verificar a legitimidade desta proposta, Mary Elizabeth Bailey concordou em colaborar com a Lifetime para levar este projeto às telas. Uma oportunidade da qual nem todos se beneficiam!

Fato e ficção

É comum que sejam obtidas licenças para filmes baseados em fatos reais. No caso de “Would You Kill For Me?”, algumas situações foram alteradas em relação às experiências da vida real de Mary Elizabeth Bailey. Por exemplo, foi inventada a presença de sua avó durante o assassinato, quando na verdade ela estava dormindo. Além disso, o filme apenas traça o relacionamento entre Mary Elizabeth Bailey e seu irmão, enquanto o livro também aborda seus outros dois irmãos.

Porém, todas essas liberdades tomadas pelos diretores foram feitas com respeito e bom gosto. Mary Elizabeth Bailey está satisfeita com o resultado obtido.

Uma experiência comovente no set

Particularmente comovente é o momento em que Mary Elizabeth Bailey aparece em uma cena de tribunal. Foi uma experiência incrível para ela ver sua vida se desenrolar diante de seus olhos e reviver os momentos que não pôde vivenciar quando criança. O trabalho da atriz que a retrata, Presley Allard, foi particularmente marcante e contribuiu para a emoção desta cena.

Um filme catártico

Ao longo da produção do filme, Mary Elizabeth Bailey sentiu uma catarse, mas foi especialmente durante a escrita de seu livro que ela conseguiu expressar todas as suas emoções. Ao rever as gravações, os depoimentos e os detalhes ouvidos no tribunal, ela experimentou uma verdadeira libertação emocional.

A verdade sob diferentes perspectivas

O filme oferece uma visão multidimensional da história, destacando as experiências e traumas das diferentes gerações de mulheres envolvidas. Mary Elizabeth Bailey aprecia esta abordagem e enfatiza a importância de partilhar a própria verdade.

O poder da força interior

A força e a resiliência de Mary Elizabeth Bailey são elementos-chave de sua história. Porém, é interessante perceber como essa força às vezes era usada contra ela, principalmente por sua mãe que contava com ela para salvá-la, mesmo ainda sendo uma criança. Mary Elizabeth Bailey foi forçada a cuidar da mãe e dos irmãos, o que foi uma provação difícil para ela.

Concluindo, “Você mataria por mim? “The Mary Bailey Story” é um filme poderoso que conta uma história real emocionante. Mary Elizabeth Bailey nos oferece uma história inspiradora de resiliência e esperança. Este filme, ancorado na realidade feminina, é mais uma prova da qualidade das produções da Lifetime. Por favor, compartilhe suas idéias e apoie Mary Elizabeth Bailey nos comentários.

Fonte: www.tvfanatic.com

Avatar photo

Sylvain Métral

J'adore les séries télévisées et les films. Fan de séries des années 80 au départ et toujours accroc aux séries modernes, ce site est un rêve devenu réalité pour partager ma passion avec les autres. Je travaille sur ce site pour en faire la meilleure ressource de séries télévisées sur le web. Si vous souhaitez contribuer, veuillez me contacter et nous pourrons discuter de la manière dont vous pouvez aider.